terça-feira, 5 de março de 2019

Como manter amizades morando fora do Brasil?


-->
Manter as amizades morando longe de casa é um tremendo desafio. Esses tempos tive uma experiência muito ruim que me mostrou claramente como eu me engano com relação a quem são meus amigos de verdade desde que estou morando no Chile. E olha que já moro longe da minha cidade natal há 15 anos!

A gente pode imaginar que as redes sociais são um jeito bem eficaz de manter contato com quem está longe. O problema é a superficialidade e a falta de espaços de interação mais profundos. A gente aperta um botãozinho e sente que realmente reagiu ao que pessoa publicou, mas é uma doce ilusão (ou amarga, às vezes).

Antes de morar no Chile, tive dois momentos muito importantes da minha vida em que realmente pude contar com a ajuda dos meus amigos virtualmente. Mas eram outros tempos e meios mais eficazes no quesito interação.



O luto virtual


A primeira experiência foi em 2003 quando meu pai faleceu de câncer. Naquela época, eu tinha recém mudado para Brasília e o e-mail me ajudou a entrar em contato com meus amigos. Por ali, pedi orações, pensamentos positivos e boas energias para o meu velho.

Foi assim também que avisei meus amigos quando ele morreu. Avisei do velório e da cremação. O e-mail é um espaço mais privado e talvez por isso muita gente não só respondeu, como também apareceu. Quem estava longe, ligou. Mas foi uma grande demonstração de carinho, apoio e amor.

Lambendo as feridas


A segunda vez em que usei o mundo virtual para desabafar e tive uma grande acolhida foi quando me separei em 2007. Chorei todas as minhas penas no meu blog e os amigos, de Porto Alegre e Brasília, principalmente, não me deixaram na mão. Ninguém ficou indiferente a minha dor.

As mensagens de carinho saíram da realidade virtual para o plano físico. Meus amigos, literalmente, me levantaram do chão. Eu que pensava que o mundo tinha acabado e que iria morrer de dores de amores, ressurgi das cinzas com o apoio de tanta gente linda.

Mas o mundo mudou, as redes sociais transformaram nossas relações de um jeito tão tóxico que não é mais um lugar seguro para você falar sobre sentimentos. O blog quase ninguém lê. E-mail somente para trabalho.

A praga da felicidade virtual


A maioria se comunica em redes como Facebook e Instagram, onde publicar uma foto só vale se for para falar de alegria e coisas boas. Se você publica um desabafo, você é a diferentona e chata da internet.

Pior ainda se faz um desabafo para um espaço onde há mais de 500 pessoas e todas elas têm algo a dizer sobre a sua vida, mesmo que te conheçam há pouco tempo, tenham participado muito pouco dos seus mais de 40 anos de vida, ou tenham se afastado bastante no decorrer dos anos.

Para mim, é super triste porque tenho poucas amigas aqui no Chile e Santiago é uma cidade dominada por workholics. Se você não for assim, é impossível pensar em sobreviver, por isso, nem condeno meus amigos. Mas, como eu vivo de bicos há praticamente seis anos, sinto muito a solidão. Com a maternidade, a coisa piorou!

Explode coração


De vez em quando, fico puta! Explodo. E, nesse dia, fiz um desabafo no Facebook, o lugar que virou um esgoto, especialmente depois das eleições no Brasil. Daí, para segurar o carrinho de mão que começou a despencar ladeira abaixo, nunca mais. Nem o mais poderoso dos deuses seria capaz de consertar esse equívoco. E contra isso não posso lutar. Apenas aceitar.

Assim como a distância, a indiferença e a indelicadeza dos amigos - que cada vez sabem usar menos as palavras para comunicar algo - machucam bastante. Naquele dia, chorei sozinha, de noite, deitada na cama. Chorei por mim e meus amigos virtuais. 

De volta às origens


Fazia tempo que não escrevia um texto tão intimo e pessoal no blog. Me fechei justamente porque meu instinto de preservação me obrigou a fazer isso. Mas não é essa a minha característica, nunca foi. Sou uma pessoa intensa, que gosta de ter poucos amigos, verdadeiros e bons amigos. 

Morro de saudade dos amigos e familiares que fiz em Brasília porque eles são parte de um período bom e de uma fase madura na minha vida. Me levantaram quando eu precisei, me incentivaram a seguir meus sonhos, inclusive, o de viver meu grande amor. 


Vida de expatriada

Morar fora é super complicado. Quando leio os textos das colunistas do Brasileiras Pelo Mundo vejo claramente que não sou a única a passar por esses perrengues. Isso me ajuda muito no processo de aceitação e assimilação dessa nova realidade de mulher, imigrante, mãe, estrangeira, expatriada, desempregada, desgarrada... 

Você que está feliz com suas escolhas, plena, realizada, que bom! Sinta-se bem, celebre, afunde menos o dedo na dor alheia e tente multiplicar o amor que o universo te entregou.

Isso é amizade. Isso é ser amigo de verdade, longe ou perto, vendo todos os dias, ou uma vez por ano, conhecendo há um dia ou 40 anos. É como aquela frase do Gandhi, seja a mudança que você quer ver no mundo. Apenas, seja. Eu, o universo e todos os corações partidos no mundo agradecem!

sexta-feira, 28 de dezembro de 2018

Receba o ano novo, diariamente


-->
Não me peçam para fazer balanço de ano novo. Foi um ano cheio de altos e baixos, muito intenso, como tudo em minha vida. De todas as crises, a mais positiva foi a política no Brasil porque me mobilizou muito aqui. 

Conheci tanta gente especial, mulheres lindas, homens lindos, pessoas que nem sabia que existiam e que fizeram (e fazem) esse mundo valer a pena. Minha filha linda sempre nos movendo para cima e para baixo, pra lá e pra cá. 

Dia 31, à meia noite, muda a folhinha do calendário, muda de ano, provavelmente, pouca coisa muda, além do presidente no Brasil. As contas vão continuar chegando, pessoas novas vão chegar na sua vida e outras irão se despedir de uma hora para outra, alguns sonhos serão adiados, outros projetos talvez se realizem, enfim, vida que segue. 

Vamos parar de fazer grandes planos, sonhos e projetos e viver cada dia. Viver o agora. Ser feliz é hoje. Nas pequenas coisas. O sorriso da Gabi, a foto tremida no celular daquele dia especial, o trabalho super legal que dura apenas três meses, aquela tarde com sua amiga que foi tão boa e nem lembraram de tirar uma foto, o café, o chopp, o vinho com a família, os amigos, o amor, aquele olhar de cumplicidade que te conecta imediatamente com quem você ama, diariamente. 

Seja leve, seja suave, seja doce. ❤️




domingo, 9 de dezembro de 2018

Chile: onde morar, casar e como procurar emprego?


Chile: onde morar, casar e como procurar emprego?
  
Faz mil anos que eu não escrevo no blog. Mas para compensar essa ausência, vou compartilhar com vocês dicas quentíssimas para quem quer morar no Chile. São textos de minha autoria publicados em outras páginas com os respectivos links. Você confere agora, então, tudo sobre Chile: onde morar, casar e como procurar emprego?


Cerro Santa Lucía - Santiago de Chile


Chile: onde morar?

Vou falar especificamente sobre Santiago, a capital do Chile, e cidade onde resido atualmente. Em breve, devo escrever algo sobre as regiões chilenas com dicas. Me aguardem!

Por enquanto, deixo aqui o link para vocês conferirem um texto publicado na plataforma Brasileiras Pelo Mundo, onde sou colaboradora.




Antes que me acusem de comunista, vou logo avisando que comuna é tipo um bairro aqui. Não é a mesma coisa porque cada comuna tem seus bairros.

Seria uma região administrativa porque cada comuna tem seu administrador (prefeito) que é escolhido nas eleições.

Mas você deve estar mesmo curiosa para saber onde é melhor para morar em Santiago, certo? Então, confira o texto na íntegra aqui.


Chile: onde casar?

Quem me acompanha, sabe que fui colaboradora do Zankyou Weddings Brasil durante muito tempo.

Por conta disso, ainda vivo envolvida no universo de casamentos e atualmente colaboro com o blog Casamento no Chile.

Escrevi um texto bem legal e com muito carinho onde selecionei 10 lugares incríveis para casar no Chile.

Foto: Arco e Flash Fotografia


A lista é bem variada e tem destinos de norte a sul do país. Alguns deles bem conhecidos como a Ilha de Páscoa, o Deserto de Atacama e até mesmo as imponentes Torres del Paine.

Juro que teve gente que já realizou o sonho de casar num desses paraísos chilenos. Confira o texto na íntegra clicando aqui.

Chile: como procurar emprego?

Quem chega num novo país, nem sempre sabe bem por onde começar a procurar emprego.

Pensando nisso, e depois de ter passado por vários seleções, fiz uma lista com 7 dicas para entrevistas de trabalho no Chile.



Além da minha experiência pessoal, conversei com um especialista no assunto aqui no Chile e também ouvi depoimentos de brasileiras que foram felizmente contratadas!

O texto é uma mão na roda para quem está começando uma nova vida no Chile e vai encarar esta etapa.

Você poder ver o artigo na íntegra clicando aqui.  

Fique por dentro de tudo sobre o Chile

Sempre que for possível, vou compartilhar aqui minhas sugestões. Pode demorar um pouco, mas sei que sempre acabo ajudando alguém.

Já estou trabalhando na minha listinha de temas para 2019. Se você tiver algum assunto que gostaria de saber mais, deixe aqui nos comentários.

Para mim é um ótimo termômetro para saber se esses temas realmente te interessam e ajudam.